Crônicas, Das idiotices do mundo, Senta que lá vem história, Vivi e aprendi

A vida adulta

E se, antes de botar a cabeça pra fora da barriga de nossa mães, antes que deixacemos de ser meros corpos em repouso e viessemos a nos tornar finalmente seres, e se antes de tudo isso, recebermos um manual, pequeno e descritivo de como seria cada fase de nossas vidas. Pense quantos problemas seriam evitados. Se ele existisse, esse manual, ele começaria contando sobre a primeira fase nossas vidas, mais ou menos assim:

“Um dia você vai finalmente botar a cabeça pra fora e dar uma espiadinha nesse mundo, não é bonito, não é simpático, mas você talvez acabe gostando. Nessa fase da sua vida, você conhecerá pessoas completamente bobas, por você, é. Então faça uso disse para receber mais e mais atenção, jogue sorrisos, bata palminhas, enfim, aproveite. Se você perceber que não vai ser nenhum famoso, será o momento em que você mais receberá atenção na sua vida…”

Eu lembro dessa fase, todos ficavam me olhando, eu era de parar o trânsito, xódozinho da mamãe que comia mamão sem parar, mas pra dizer a verdade a memória mais antiga que tenho é de quando roubaram meu velocípede, MEU VELOCÍPEDE cara.

PORRA!

O almanaque ilustrado com tirinhas da Mônica, ou melhor dizendo o Manual da vida, prossegue contando fatos sobre a infância:

“Não, você não vai ser jogador de futebol. Nessa época marota da sua vida você irá desenvolver funções complexas, como por exemplo sociabilizar com sua vizinha chata quando a bola cair na casa dela, mas essa é uma época em que você vai ter que aprender a ir para escola. Não adianta espernear, chorar ou até mesmo matar aula, hora ou outra você vai ter que entrar na escola, mas fique sossegado, isso só vai durar pra vida inteira.”

A vida não era difícil, entrar na escola também não foi traumatizante, mas não chegava a ser divertido também. Eu era um menino tímido que sentava nun canto que e se mantinha assim. O que não me impediu de arranjar uma namorada na segunda série. Namorada é modo de falar, por que o pedido consistiu em escrever na mesa dela se ela queria, com uma caixa pra ela poder marcar sim ou não. Agente ficava junto na hora do intervalo, e durou até eu vir pra Sorocaba.

Aqui eu jogava bola, saia correndo pra escola por que estava sempre atrasado, mas não passava do garoto magrelo com cabelo bagunçado, o típico garoto meio termo, que nunca se destacava em nada. Esse era eu, Esse Sou Eu.

O manual continua:

“Adolescência, puta que pariu. O antropocentrismo faz todo sentido pra você, as idas ao banheiro serão constantes. Você fica dizendo “quero ter pelos”, ai eles vem, e você agora só pensa em como se livrar deles. Os amores vão passar na sua vida tantas vezes quanto você corta o seu cabelo, ou cutuca o nariz, só depende de você.
Agora R$ 10,00 não tem o mesmo valor que tinha antes, mas um decote, ahhh isso vale muito mais que sua vida inteira, punheteiro do caralho”

Eu continuava o mesmo na adolescência, um grande babaca. As cagadas que cometi no primeiro ano são imensuráveis, e são tantas que nem compensam serem ditas aqui. Mas é claro que com os erros eu ia aprendendo, pelo menos com alguns deles, mas se antes eu era o carinha que sempre estava na média, agora eu começa a decair de mais, até que chegou o final do segundo ano e eu repeti.

E de novo no segundo ano, as responsabilidades só aumentaram, ensino médio de manhã, técnico a tarde e trabalhando, mas acho que eu consegui levar bem as coisas, voltei a ser o meio termo de sempre.

Cheguei então ao terceiro ano, eu querendo cada vez mais SER. Mas como diria Carlos drummond, o que é SER?

O manual diz algumas coisas sobre ser adulto:

“Te fudeu. Vai lá se apresentar ao exército, bater continência aos grandessíssimos oficiais do exército brasileiro. Vai encher a cara para tentar esquecer a ex-namorada, vai fazer tudo que der vontade na sua cabeça, mas não esqueça de avisar sua mãe, pois você ainda mora com ela, e sua grande vida adulta de merda não passa de mais um monte de responsabilidades e mais insegurança.
2 coisas que você pode fazer com 18 anos que talvez sejam úteis: Entrar num puteiro; tirar carta de motorista. 2 consequências: Pegar DST; bater o carro.
A vida adulta, a tal, a grande vida adulta é isso, liberdades que mais te trazem problemas do que qualquer outra coisa.
Se você espera encontrar nesse manual, ou que alguém lhe diga qual a fórmula para se ter uma vida de sucesso, você ainda não percebeu que a vida adulta é uma grande merda desconexa e complexa. Te vira.”

Apesar dos problemas, apesar das burradas, eu tenho algumas coisas do que me orgulhar. Ser adulto não é algo que acontece de uma hora pra outra, não dormi adolescente ontem e acordei adulto hoje, são uma série de fatores que te fazem entender que o antropocentrismo não faz tanto sentido assim, você tem pessoas vivendo ao seu redor, pessoas que dependem de você, que confiam em você, e decepciona-las é um sinal de que você ainda não está totalmente pronto pra encarar sozinho esse pequeno mundo, cheio de nervos.

Me pego olhando pra trás, e penso “porra, quantos ônibus eu já peguei, quanto eu já gastei com passe de ônibus, salgados e outras coisas”.

Acreditem, todos vocês de alguma forma foram/são importantes para eu ser quem eu sou, seja isso bom ou não.

Obrigado,

@franlucas_ @RafaPradoF @Raulzito_Moura @Carlootz @F_Calobrizi @Nicoletchi @FerFCL  @maferreiira @ericamayumi  @eee_paloma

E a todos outros que por algum motivo não estão aqui, mas sabem que são especiais.

Anúncios
Padrão

8 comentários sobre “A vida adulta

  1. @maferreiira disse:

    gostei *-* e fiquei feliz por lembrar de miiiim!
    parabénsss, muitas felicidades *-* tudo de bom (: te adoroo s2

  2. Carlotz disse:

    Li o texto, me vi refletido em algumas partes, bem… se fosse um texto de qualquer outro autor diria: “recomendo”

    ai no final da pagina lembro que é do anjinho, ai digo: QUE BOSTA EIN?

    To de brinks ;D

    __________________________

    “Me pego olhando pra trás, e penso “porra, quantos ônibus eu já peguei, quanto eu já gastei com passe de ônibus, salgados e outras coisas”

    Realmente… Mas sei de uma coisa, só de pensar que um dia, estarei lembrando disso e pensando ” como era bom ” me da um vazio enorme…

    Assisti um filme chamado “click” no qual o cara ganha um controle para controlar ( ah vá ) o tempo… Seria bom um desses, para voltar nos bons momentos, as risadas, os amendoins na sala.

    e anjinho… Feliz aniversário.

  3. lalien disse:

    “[…] vai fazer tudo que der vontade na sua cabeça, mas não esqueça de avisar sua mãe, pois você ainda mora com ela, e sua grande vida adulta de merda não passa de mais um monte de responsabilidades e mais insegurança. […]”

    resumiu tudo.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s