Contos

A Arte

O poeta subiu no palco soltou um verso, e logo foi interrompido.
A bailarina deu um passo e caiu.
O músico, soltou um acorde e logo desafinou.
O pintor, borrou antes mesmo da primeira pincelada.

Então o protesto tomou forma popular:
‘Mataram as artes!’, Gritavam pessoas de preto e branco nas praças, já que era proibido protestos nas ruas.

‘Arte não morre, se modifica, se revoluciona, se auto-regenera’, Gritavam do outro lado pessoas contrárias aos contras.

As duas partes ficaram tensas, de um lado o grupo que era contra as novas mudanças, do outro o povo contra ao que era clássico, por que antes de tudo, eles eram do contra.
Acabou num embate canastroso, onde as duas partes soltavam palavras ao vento,sem mero compromisso.

Virou matéria de jornal no dia seguinte.

Anúncios
Padrão

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s